Bem-vindos a Sociedades dos Poetas

Um blog para gente de bom gosto, onde o conhecimento é algo a ser buscado - enquanto estiver vivo!

domingo, 31 de maio de 2009

Dom Casmurro - Traição ou Obsessão? - A dúvida que paira no final do Romance




Em Dom Casmurro, a dramatização do ato de narrar é um dos componentes essenciais do enredo e da vida do protagonista. Tal dramatização consiste no seguinte: em vez de simplesmente escrever uma história, Machado inventou um personagem – um pseudo-autor – de quem nos é dado ver o ato de escrever o seu próprio romance.
Além de ser, também, entendido como uma auto-análise de Bento Santiago, sobrevivente único da estória. E por ser o único sobrevivente, não pode ser questionado por ninguém, pois todos já estão mortos.
Há uma infinita e controversa opinião em questão ao adultério ter sido, ou não, ocorrido. Assim, a duvida nos divide.
A história, de Dom Casmurro, tem como primeira chave, para tentarmos nos aproximar de seu enigma, a própria figura deste que, ao mesmo tempo a vive e a relata. Assim, trata-se de um velho solitário apelidado de Dom Casmurro – apelido dado por um rapaz que se aborreceu com Bento Santiago em um trem, por ter dormido enquanto aquele lia seus versos.
Por fim, a suposta “traição” de Capitu com Escobar pode ser caída por terra, ou não. Isso depende de cada ponto de vista. Talvez, possa não ter havido a “traição”, por se tratar de algo imaginado por uma mente doentia, insegura e ciumenta de Bento Santiago. Ou quem sabe o contrário! Tudo o que sabemos é que se trata de uma versão pessoal de acontecimentos dramáticos sujeita, portanto, as omissões voluntárias ou causais, e as deformações porventura preconcebidas, muito provavelmente, no interesse de uma defesa do narrador, perante sua própria consciência. Mediante ao que foi citado e a sua dedução pessoal: Qual a sua opinião sobre este fantástico romance machadiano? E você, acha que houve adultério, ou não?