Bem-vindos a Sociedades dos Poetas

Um blog para gente de bom gosto, onde o conhecimento é algo a ser buscado - enquanto estiver vivo!

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Significado das palavras através dos elementos mórficos




Pode-se identificar o significado de algumas palavras através de seus elementos estruturadores. Assim, o conhecimento de palavras cognatas auxilia não só na delimitação dos elementos mórficos, mas também na descoberta do significado de um vocábulo desconhecido. Seguem algumas palavras com seus elementos formadores e sua significação. Entretanto, a quantidade de prefixos, sufixos e radicais é grande e seus significados também múltiplos, merecendo um estudo mais aprofundado.


Tipos de prefixos e seus significados

ambi duplicidade ambíguo, ambidestro
bene/bem/ben bem, muito bom beneficente; benfeitor
cis do lado de cá cisplatino
de de cima para baixo decrescer, declive
justa ao lado justaposição
ob em frente obstáculo
per movimento através perfurar, percorrer
pro para frente, em lugar de progresso, pronome, prólogo
sesqui um e meio sesquicentenário
vice/vis no lugar de, inferior a vice-presidente, visconde
anfi em torno, duplicidade anfiteatro, anfíbio
arqui/arc/arque/arce superioridade arcebispo, arcanjo, arqueduque
catá de cima para baixo catálogo
dis dificuldade, mau estado disenteria, dispnéia
endo/end interior, movimento para dentro endovenoso
epi superior, posterioridade epiderme, epitáfio, epílogo
eu/ev bem, bom eufonia, evangelho, eufemismo
hipó inferior, escassez hipocrisia, hipodérmico
sin/sim/si simultaneidade, companhia sinfonia, sílaba


Uso dos sufixos

Por sua natureza formadora, podem ser nominais, verbais e adverbiais.

Nominais (substantivos e adjetivos):

agente, profissão - vendedor, inspetor, padeiro, manobrista, bibliotecário
ação ou resultado de ação - martelada, aprendizagem, matança, casamento, formatura
qualidade, estado - maldade, patriotismo, surdez, delicadeza, loucura
doença, inflamação - cefaléia, anemia, apendic ite, tuberculose
lugar - oratório, bebedouro, principado, orfanato, padaria
ciência, técnica, doutrina - geografia, estética, cristianismo
feito de, parece com - argênteo, ósseo, aquilino
coleção, aglomeração - cafezal, arvoredo, cabeleira
aumentativo - bocarra, cabeçorra, casarão, homenzarrão
diminutivo - riacho, viela, camarim, portinhola, homúnculo
Sufixos verbais:
verbos frequentativos (que se repete) - espicaçar, pestanejar
verbos diminutivos (ação diminutiva) - petiscar, chuviscar, pinicar
verbos incoativos (início de ação ou passagem para novo estado ou qualidade) - amanhecer, florescer
verbos causativos (ação que deve ser praticada ou dar certa qualidade a uma coisa) - canalizar, debilitar, esquentar
Sufixos adverbiais -mente - felizmente, bondosamente

Morfemas lexicais ou Radicais

O significado de alguns morfemas lexicais ou radicais.

1º. elemento:

acrópole, acrofobia – alto/ agricultura – campo/ anemômetro - vento
apicultura – abelha/ asterisco, asteróide – estrela/ cacofonia - mau
caligrafia – belo/ eneágono – nove/ equivalência - igual
filologia, filarmônica – amigo/ fisionomia, fisiologia - natureza
fotofobia, fotosfera - fogo/luz/ heterossexual, heterogêneo - outro
isósceles – igual/ locomotiva – lugar/ megalomaníaco – grande/ misantropo - ódio
mitologia – fábula/ necropsia – morto/ onomatopéia - nome
ornitologia – ave/ oxítono - agudo/penetrante/ pan-americano - todos
patologia - sentimento/doença/ peleografia – antigo/ pirotecnia - fogo
pisciforme – peixe/ plutocracia – riqueza/ pneumático - ar/sopro
quiromancia – mão/ retângulo – reto/ tipografia - figura/marca

2º. elemento:

anagrama - escrita/letra/ antropofagia - ato de comer/ astronomia - lei/regra
autônomo, metrônomo - que regula/ barítono, monótono - tensão/tom
bibliofilia – amizade/ cartomancia – adivinhação/ centrífugo - que foge ou faz fugir
demagogo - que conduz/leva/ democracia – poder/ diálogo, psicólogo - palavra/estudo
frutífero - que produz ou faz/ helicóptero – asa/ heterodoxo - que opina
heterogêneo - que gera/ lobotomia - corte/divisão/ microscópio - examinar/ver
monarca - que comanda/ neurastenia – debilidade/ nevralgia - dor
ovíparo - que produz/ xenofobia, hidrofobia - ódio/temor

Processos de formação de palavras

As palavras estão em constante processo de evolução, tornando a língua um fenômeno vivo que acompanha o homem. Alguns vocábulos caem em desuso (arcaísmos), outros nascem (neologismos) e muitos mudam de significado com o passar do tempo.
Em Língua Portuguesa, em função da estruturação e origem das palavras, pode-se chegar à seguinte divisão:

• palavras primitivas - não derivam de outras (casa, flor)

• palavras derivadas - derivam de outras (casebre, florzinha)

• palavras simples - só possuem um radical (couve, flor)

• palavras compostas - possuem mais de um radical (couve-flor, aguardente)
Para a formação das palavras portuguesas, é necessário o conhecimento dos seguintes processos de formação:

• Composição - junção de radicais. São dois tipos de composição, em função de ter havido ou não alteração fonética.
o justaposição - sem alteração fonética (girassol, sexta-feira)
o aglutinação - alteração fonética, com perda de elementos (planalto, pernalta). Gera perda da delimitação vocabular e a existência de um único acento fônico

• Derivação - palavra primitiva (1 radical) acrescida, geralmente, de afixos. São cinco tipos de derivação.
o prefixal - acréscimo de prefixo à palavra primitiva (in-feliz, des-leal)
o sufixal - acréscimo de sufixo à palavra primitiva (feliz-mente, leal-dade)
o parassintética ou parassíntese - acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo, ao mesmo tempo, à palavra primitiva (en+surdo+ecer / a+benção+ado / en+forca+ar). Por esse processo se forma essencialmente verbos, de base substantiva ou adjetiva; mas há parassintéticos de outras classes (subterrâneo, desnaturado)


Se com a retirada do prefixo ou do sufixo não existir aquela palavra na língua, houve parassíntese (infeliz existe e felizmente existe, logo houve prefixação e sufixação em infelizmente; ensurde não existe e surdecer também não existe, logo ensurdecer foi formada por parassíntese)
o regressiva ou deverbal - redução da palavra primitiva (frangão > frango gajão > gajo, rosmaninho > rosmano, sarampão > sarampo, delegado >delega, flagrante > flagra, comunista>comuna). Cria substantivos, que denotam ação, derivados de verbos, daí ser chamado também derivação deverbal (amparo, choro, vôo, corte, destaque, conserva, fala, pesca, visita, denúncia etc.).

Observação

Para determinar se a palavra primitiva é o verbo ou o substantivo cognato, usa-se o seguinte critério: substantivo denotando ação constitui-se em palavra derivada do verbo, mas se o substantivo denotar objeto ou substância será primitivo (ajudar > ajuda, estudar > estudo ≠ planta > plantar, âncora > ancorar)
o imprópria ou conversão - alteração da classe gramatical da palavra primitiva ("o jantar" - de verbo para substantivo, "é um judas" - de substantivo próprio a comum, damasco por Damasco).

• Hibridismo - são palavras compostas, ou derivadas, constituídas por elementos originários de línguas diferentes (automóvel e monóculo- gr e lat / sociologia, bígamo, bicicleta - lat e gr / alcaloide, alcoômetro - ár. e gr. / caiporismo - tupi e gr. / bananal - afric e lat. / sambódromo - afric e gr / burocracia - fran e gr).

• Onomatopeia - reprodução imitativa de sons (pingue-pingue, zunzum, miau, zinzizular).

• Abreviação vocabular - redução da palavra até o limite de sua compreensão (metrô, moto, pneu, extra).

• Siglonimização - formação de siglas, utilizando as letras iniciais de uma sequência de palavras (Academia Brasileira de Letras - ABL). A partir de siglas, formam-se outras palavras também (aidético, petista, uergiano).

Nenhum comentário:

Postar um comentário