Bem-vindos a Sociedades dos Poetas

Um blog para gente de bom gosto, onde o conhecimento é algo a ser buscado - enquanto estiver vivo!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Introdução da criança ao Mundo da Leitura e Escrita






1. Leitura


Os livros contribuem para o desenvolvimento da criatividade e da linguagem.
Com eles, descobrirão novas formas de brincar, em que a sua imaginação é o elemento essencial.
Ler é uma atividade que, além de proporcionar às crianças grandes momentos de distração e prazer, as enriquecerá como pessoas.
Os livros são encontrados de todas as formas, cores e tamanhos: grandes, minúsculos, de bolso, de cartão, de tela, de plástico, de papel reciclável. As formas diferentes com que são produzidas ajudam a atrair os leitores. Há livros para todas as idades: de contos para sonhar, de letras para aprender, com autocolantes, com desenhos para colorir, com ilustrações gigantes cheias de vida... Desde a sua humilde condição de clássicos até os mais vanguardistas. Um livro é para toda a vida, e com ele a criança descobrirá o incrível mundo da leitura.
Além disso, é nos primeiros anos de vida que as crianças adquirem os hábitos mais importantes. Por isso é fundamental desde o início contribuir para o seu gosto pela leitura. Um gesto tão simples como ler um conto, pode ser a ponte perfeita para despertar o interesse dos alunos e conseguir que esta paixão cresça com os anos.
Analisando a importância da leitura, serão apresentadas cinco ideias para implementação da leitura da forma mais interessante possível para que não cause o tédio.




1.1 O jogo das vozes



Qualquer conto, por pequeno que seja, pode transformar-se num jogo de vozes e ruídos. Os menores adoram as mudanças de voz e de tom: as vozes agudas, as graves, as que imitam as crianças, um bruxa, os sons da água, do vento, dos animais.
Desta forma aprendem a identificar as diferentes personagens: os bons, os maus, os mais novos e os mais velhinhos. O certo é que qualquer elemento criativo captará a sua atenção! Nota: Para crianças de 0 a 8 anos.



1.2 Desenha a história



Apenas são necessários lápis de cor, cartolinas e um narrador. O jogo consiste em que as crianças representem as diferentes seqüências do conto: o início, o clímax e o desenlace final. Podem fazer o número de desenhos que quiserem, o importante é deixar voar a sua criatividade.
Além disso, observando os seus desenhos podemos aprender imensas coisas: o que mais chamará a atenção será o maior desenho; o que menos lhe gostar será esquecido, ou figurará em ponto muito pequeno; os alunos ficarão encantados de terem as suas próprias ilustrações dos contos; para crianças de 3 a 8 anos; a partir dos 6 anos, podemos propor-lhes que escrevam pequenos textos junto dos desenhos.



1.3 Fazendo teatro



É hora de abrir a arca das recordações: um chapéu, umas luvas, colares de plástico, cintos, ou um casaco. Qualquer roupa velha será o disfarce perfeito, um conjunto de maquiagem infantil para acrescentar bigodes, uma cicatriz ou umas bochechas rosadas. Agora representarão o seu conto favorito! Nota: para crianças de 5 a 8 anos. A partir dos 7 anos também podemos sugerir-lhes que escrevam um pequeno guia para adaptar a história do livro.



1.4 O super detetive



Pretende-se, com este jogo, desenvolver à atenção das crianças, propondo-lhes que sejam “Super Detetives”. O jogo consiste em procurar pistas secretas:
Podem ser cores, palavras que comecem pela letra “A”, “B”, palavras no plural, no feminino, no masculino, palavras que se escrevem com a letra “H”, podemos estabelecer um limite de tempo ou de palavras, e no final pensar numa grande recompensa. Que tal a sua sobremesa favorita? É fantástico para a ortografia, o vocabulário e a linguagem!
Nota: Para crianças de 7 a 12 anos. Cada detetive deverá ter o seu próprio caderno de detetive e uma caneta para poder anotar todas as pistas. Se vária crianças participarem cada uma pode utilizar uma caneta de uma cor diferente.



1.5 Invente outro final



Seguro que existe algum livro com um final pouco divertido, assim o objetivo é o de inventar entre toda a família o desenlace perfeito. Cada participante contribui com a sua idéia, e entre toda a família decide-se que “pedaço da história” é a melhor. É uma forma de conversar sobre um livro: as personagens, o contexto, as diferentes situações, etc. O jogo pode complicar-se em função da idade dos participantes.
Nota: Para crianças com mais de 5 anos. Este jogo não tem idade, e seguro que existem centenas de finais para modificar.
Reflexão:
“A leitura de um bom livro é um diálogo emocionante em que o livro fala e a alma responde” (André Morais – ensaísta francês)




2. Redação





A Redação tem como finalidade avaliar a capacidade do candidato de produzir texto escrito, considerando a organização do pensamento, a criatividade e o domínio do língua portuguesa. Qualquer redação, por mais bem elaborada que seja, terá zero se fugir ao tema proposto.
O aluno candidato deverá reconhecer a existência da tipologia variada que compõe sua realidade e os aspectos peculiares a cada modalidade. É claro que isso leva tempo para ser desenvolvido.
Ao passar do tempo dos estudos, os alunos já saberão identificar fatores de textualidade em diversos tipos de textos, com também de estabelecer relações lógicas.
Fatores de textualidade – Coesão e coerência é a parte fundamental para a redação. Nos períodos básicos, esta função é praticamente irreconhecível para uma criança que não sabe a teoria.
Funções da linguagem.




Tipos textuais:
Narrativo,
Descritivo,
Expositivo-argumentativo,
Persuasivo,
Publicitário,
Informativo,
Resumo,
Resenha e
Carta.



Gramática – a análise gramatical verificará a capacidade do candidato de reconhecer que a língua se organiza em relações de equivalência (coordenação) e de dependência (subordinação) em níveis lexical, oracional e textual.
Classes de palavras:
Ortografia e acentuação gráfica.
Semanalmente vamos trabalhar com atividade que montaremos ao decorrer das aulas ministradas e conforme a deficiência de cada aluno. Essas atividades visam desenvolver habilidades, produção de textos e reflexão lingüística dos alunos. Esta habilidade é adquirida a partir do momento em que o aluno começa a ler e a conhecer outros vocabulários e construções de frases diversas. Além da atividade, detalharemos os objetivos de cada proposta, apresentaremos uma grade de respostas, e alguns comentários quando for o caso.
Esperamos um comentário do professor ou orientador sobre a utilização dessas propostas em suas turmas, para que possamos melhorar cada vez mais as atividades. Precisamos saber o que deu certo e o que ainda pode ser melhorado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário