Bem-vindos a Sociedades dos Poetas

Um blog para gente de bom gosto, onde o conhecimento é algo a ser buscado - enquanto estiver vivo!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Morfologia






Morfologia

As classes gramaticais

Como aprenderemos a seguir, as classes gramaticais são divididas em dez, sendo elas: substantivo; adjetivo (locução adjetiva); verbo (locução verbal); advérbio (locução adverbial); interjeição; artigo; numeral; pronome; preposição; conjunção.

Substantivo

Palavra variável que nomeia os seres em geral. Ele é subdividido por: comum (nomeia o ser genericamente, como pertencente a uma determinada classe), próprio (nomeia o ser particularmente, dentro de uma espécie; são grafados com letra maiúscula), concreto (nomeia o existente, seja ele animado – homem, ou inanimado – casa), abstrato (nomeia ação – beijo, estado – vida, qualidade – beleza, sensação – calor, ou sentimento – amor), primitivo (é o que está encabeçando uma série de palavras de mesma família etimológica; não se origina de nenhum outro nome), derivado (origina-se de um primitivo), simples (apresenta apenas um radical), composto (apresenta mais de um radical) e coletivo (embora na forma singular, expressa uma pluralidade).

Análise Morfológica das palavras

Para analisarmos uma palavra, morfologicamente, precisamos, primeiramente, saber dividi-las em:


Adjetivo

É a palavra variável que se deixa anteceder por TÃO (ou muito e/ou aceitar o sufixo – MENTE). Também é considerado modificador de substantivo. Exemplos:

Imensas noites de verão
com frias montanhas mudas,
e o mar negro, mais eterno,
mais terrível, mais profundo
(Cecília Meireles)

Locução Adjetiva: é a soma de “preposição mais substantivo” (com valor e emprego de adjetivo). Exemplo:

Verbo

Palavra variável (em número, pessoa, modo e tempo). Articula-se aos pronomes retos e substantivos. É dividida em três modos: Indicativo (fato provável); Subjuntivo (fato improvável); Indicativo (pedido, ordem ou desejo). Há três conjugações: 1º conjugação –ar (amar); 2º conjugação –er (vender); 3º conjugação –ir (partir). Quanto ao número e pessoa temos: singular (eu, tu, ele, ela); plural (nós, vós, eles, elas). Os tempos verbais também são três: presente; pretérito; futuro.


Advérbio

Palavra invariável, ao qual se articula com o verbo, adjetivo e outro advérbio. Deixa-se anteceder a um verbo, mas também a um adjetivo, ou a outro advérbio. Também, é considerado modificador, e intensificador, de um verbo, adjetivo, de um próprio advérbio, ou até mesmo, de toda a oração. Exemplos:

Ela canta bem (verbo)
Ela canta muito bem (advérbio)
Ela é muito bonita (adjetivo)
Realmente ela chegou. (oração)

Locução Adverbial: o advérbio também pode ser formado por mais de um vocábulo – é a locução adverbial; normalmente é expressa de uma preposição + substantivo, com o valor e emprego de advérbio (sem jeito, sem temor, sem silêncio, com carinho, etc.).

Classificação dos Advérbios

De Tempo: agora, hoje, amanhã, depois, já. Ontem, sempre, nunca, jamais, antes, cedo, tarde, brevemente, raramente, etc.

De Lugar: abaixo, acima, acolá, cá, lá, aqui, ali, além, aquém, atrás, dentro, perto, perto, longe, etc.

De Intensidade: muito, mui, pouco, bastante, mais, menos, tão, demasiado, meio, completamente, demais, excessivamente, etc.
De Modo: bem, mal, assim, depressa, como, melhor, pior, calmamente, apressadamente, loucamente, etc.

De Afirmação: sim, certamente, deveras, realmente, efetivamente, etc.

De Negação: Não.

De Dúvida: talvez, provavelmente, quiçá, etc.
Interrogativo: onde, quando, como, por que (nas interrogativas direta ou indireta)

Interjeição

É a palavra que exprime nossos estados emotivos. “É uma verdadeira palavra-frase, pela qual o sujeito falante, impregnado de emoção, procura exprimir seu estado psíquico, num movimento súbito, em vez de se expressar por uma frase logicamente organizada”.

Exemplos:

Admiração: ah! ah!
Exaltação: viva!
Alívio: ah! eh!
Coragem: coragem! eia!
Bravo: aplauso
Dor: ai!
Repetição: bis!
Silêncio: psiu! calado!
Advertência: cuidado! atenção!
Desejo: tomara! oxalá!
Desejo: perdão!
Saudação: adeus!

Artigo

É a palavra que antecede os substantivos, designando-os de forma determinada (a, as, o, os) ou indeterminada (uma, umas, um, uns). Exemplos:

Chamei um médio (indefinido)
Chamei o médio. (definido)

Numeral

É a palavra que exprime quantidade, ordem, fração e multiplicação, em relação ao substantivo. (cardinais – um, dois, etc.; ordinais – primeiro, segundo, etc.; fracionário – um quinto, dois terços, etc., multiplicativos - dobro, triplo, etc.).

Pronome

É a palavra que designa os seres ou a eles se refere, indicando-os apenas como pessoa do discurso.

Veja o quadro explicativo:

Pronomes Pessoais Reto Pronomes Pessoais Oblíquo

eu- emissor me, mim, comigo
tu - receptor te, ti, contigo
ele ou ela - referente o, a, lhe, se, si, consigo
nós - emissores nos, conosco
vós - receptores vos - convosco
eles ou elas - referentes os, as, lhes, se, si, consigo


Além dos casos citados à cima, temos os pronomes de tratamento. Exemplo:

Você: tratamento familiar
Senhor (a): tratamento cerimonioso
Vossa alteza: príncipes, duques.
Vossa Eminência: cardeais
Vossa Excelência: altas autoridades
Vossa Magnificência: reitores de universidades
Vossa Majestade: reis
Vossa Imperial: imperadores
Vossa Santidade: papas
Vossa Senhoria: tratamento geral cerimonioso
Vossa Reverendíssima: sacerdotes
Vossa Excelência Reverendíssima: bispos e arcebispos

Possessivos


Indicam posição.

1º pessoa: este(s), esta(s), isto.
2º pessoa: esse(s), essa(s), isso.
3º pessoa: aquele(s), aquela(s), aquilo.

São Considerados demonstrativos, também: o(s), a(s), mesmo(s), mesma(s), próprio(s), própria(s), tal, tais, semelhante(s).

Relativo

Os pronomes relativos:

  • retomam uma palavra já expressa antes;
  • ligam orações.

Em português, são relativos os pronomes que, o qual (e variações), quem, cujo (e variações), onde (advérbio relativo com o sentido do em que), quanto. Exemplos:

Os dias que passam não voltam.
Não vi o colega a quem prometi o livro.
Os tiranos, a cujo poder o povo se submetia, eram temidos e odiados.
Visitei a casa onde nasci.
Farei tudo quanto você pedir.


Indefinidos

Referem-se, de modo vago, à 3ª pessoa: São eles: todo(s), toda(s), tudo, algum(uns), alguma(s),alguém, algo, nenhum(uns), nenhuma(s), ninguém, nada, outro(s), outra(s), outrem, muito(s), muita(s), pouco(s), pouca(s), mais, menos, bastante(s), certo(s), certa(s), cada, qualquer, quaisquer, tanto(s), tanta(s),os demais, as demais, vários, várias, um(uns), uma(s), que, quem. Locuções: cada qual, cada um, quem quer que seja, seja quem for, etc.

Exemplos:

Alguém falava de flores.
Mais amor e menos confiança.
Havia bastantes pessoas na festa.
Cada um é cada um.
Quantas lágrimas verteu por ele!

Interrogativo

São pronomes interrogativos em frase interrogativa direta ou indireta: quem, quê, o quê, que, qual, quais, quanto(a)(s).

Exemplos:

Quem disse isso?
Ignoro quem disse isso.
Quantas pessoas entraram?
Quero saber quantas pessoas entraram.

Preposição

É a palavra que serve de subordinação entre palavras e orações. Vem antes da palavra por ela subordinada a outra, daí a origem de seu nome: “posição antes”. Exemplos:

A casa de Pedro é grande.

As preposições podem ser:

  • essenciais: a, ante, até, após, atrás, com, contra, de, desde, em, entre para, por perante, sem, sob, sobre;
  • acidentais: como, conforme, consoante, durante, exceto, feito, mediante, segundo, etc.

Locuções Prepositiva: geralmente formada de advérbio + preposição, com valor e emprego de preposição: abaixo de, acima de, atrás de, através de, antes de, depois de, a par de, de acordo com, em face de, depois de, devido a, para com, a fim de, por trás de, etc.

Combinação e Contração

As preposições a, de, per, em podem unir-se com outras palavras. Exemplos:

  • combinação: sem alteração fônica. São eles: ao (a + o), aonde (a + onde);
  • contração: com alteração fônica. São eles: à (a + a), no (em + o), na (em + a), do (de + o), naquele (em + aquele), aquela (em + aquela), pelo (per + o).

Conjunção

É o conectivo de coordenação entre palavras e orações e o conectivo de subordinação entre orações.

Exemplos:

João e Maria saíram.
Pedro entrou, mas Maria saiu.
Todos viram que Maria saiu.

As locuções com valor e emprego de conjunção (para que, a fim de que, à proporção que, logo que, depois que) são chamadas de locuções conjuntivas. Estas são classificadas em coordenativas e subordinativas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário